Tel. (75) 3199-9930 Whatsapp. (75) 99930-8633

Pós-graduação à Distância em ENFERMAGEM DO TRABALHO


Início: 10/11/2020

Carga Horária:

460h
Modalidade: EAD 100% Online Área de conhecimento: Enfermagem
Matrícula: R$ 170,00

Apresentação

O Curso de Enfermagem do Trabalho se justifica por inúmeros motivos, dentre estes consideramos essencial trazer informações sobre o cenário nacional, regional e local de forma que se justificativa esteja conectada com a realidade de nosso país, de nossa região e das regiões circunvizinhas a unidade de ensino onde ofertamos este curso.

Neste enfoque no cenário mundial, a Comissão Mista da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e Organização Mundial da Saúde (OMS) tem por finalidade incentivar e manter o mais elevado nível de bem-estar físico, mental e social dos trabalhadores em todas as profissões; prevenindo o prejuízo causado à saúde destes pelas condições de seu trabalho. 

Cabe a todos proteger o trabalhador em seu serviço contra os riscos resultantes da presença de agentes nocivos à sua saúde; colocando e mantendo o trabalhador em um emprego que convenha às suas aptidões fisiológicas e psicológicas e, em resumo, adaptar o trabalho ao homem e cada homem ter sua saúde valorizada.

Entretanto é alarmante o número de indivíduos vitimados no ambiente de trabalho, no mundo, cerca de 2 milhões de trabalhadores morrem anualmente em decorrência de acidentes de trabalho e doenças relacionadas ao trabalho; e os acidentes respondem por cerca de 360 mil mortes.

No ano de 2004, no Brasil, o número de acidentes de trabalho, atingiu o seu maior índice em cinco anos, com a notificação de mais de 458 mil casos. Em cada 10.000 trabalhadores, 137 sofreram algum tipo de acidente, seja durante o horário de trabalho ou no transporte de ida ou volta ao local de trabalho.

 O número de mortes em acidentes de trabalho também aumentou terrivelmente ao longo das últimas décadas, de acordo com dados do Ministério do Trabalho e Emprego, evidenciando a piora das condições de trabalho. 

O número de acidentes de trabalho atingiu em 2004 seu maior índice em cinco anos, com a notificação de mais de 458 mil casos. Em cada 10.000 trabalhadores, 137 sofreram algum tipo de acidente, seja durante o horário de trabalho ou no transporte de ida ou volta ao local de trabalho. Este quadro coloca o Brasil entre os países com maiores índices de mortes por acidentes do trabalho no mundo, ficando atrás da Índia, Coréia do Sul, El Salvador. 

Em 2007 foram registrados 653.090 acidentes e doenças do trabalho, entre os trabalhadores assegurados da Previdência Social. Dado alarmante, mas que não inclui os trabalhadores autônomos (contribuintes individuais) e as empregadas domésticas. Estes eventos provocam enorme impacto social, econômico e sobre a saúde pública no Brasil. Entre esses registros contabilizou-se 20.786 doenças relacionadas ao trabalho, e parte destes acidentes e doenças tiveram como consequência o afastamento das atividades de 580.592 trabalhadores devido à incapacidade temporária (298.896 até 15 dias e 281.696 com tempo de afastamento superior a 15 dias), 8.504 trabalhadores por incapacidade permanente, e o óbito de 2.804 cidadãos.

Para termos uma noção da importância do tema saúde e segurança ocupacional, temos que no Brasil, em 2007, ocorreu cerca de 1 morte a cada 3 horas, motivada pelo risco decorrente dos fatores ambientais do trabalho e ainda cerca de 75 acidentes e doenças do trabalho reconhecidos a cada 1 hora na jornada diária. Em 2007 observamos uma média de 31 trabalhadores/dia que não mais retornaram ao trabalho devido a invalidez ou morte.

Para o Departamento Intersindical de Estudos e Pesquisa de Saúde e dos Ambientes de Trabalho, em 2007, foram registradas 2,8 mil mortes por acidentes de trabalho em todo o Brasil, são quase oito mortes diárias. Esse crescimento no número de acidentes de trabalho foi verificado em todos os setores econômicos e, em 2007, sofreu influência dos acidentes sem Comunicações de Acidentes de Trabalho, registrados por meio do nexo técnico epidemiológico.

 Segundo dados do governo federal os acidentes e doenças do trabalho custam, anualmente, R$ 10,7 bilhões aos cofres da Previdência Social, através do pagamento do auxílio-doença, auxílio-acidente e aposentadorias.

Combater o acidente e doença do trabalho se faz urgente e necessário quando consideramos, principalmente no Estado do Rio de Janeiro, a exploração do petróleo na Bacia de Campos onde há o registro de catástrofes como os acidentes ocorridos na Plataforma de Enchova em 1984 e 1988. O primeiro resultou em 37 óbitos imediatos; o segundo, na destruição total do convés e da torre, totalizando um prejuízo de 500 milhões de dólares.

No Estado do Rio de Janeiro, em 2007, ocorreram 47.598 acidentes de trabalho, relacionados com as suas principais atividades econômicas são: indústria, turismo, serviços e extrativismo mineral (petróleo).

Além disso, deve-se considerar que a reestruturação produtiva e os acidentes de trabalho no Brasil estão relacionados, pois, o desemprego tende a induzir ao aumento no número de horas trabalhadas e na intensidade do trabalho entre os que permanecem na produção e que tal fato resulte em maior risco de acidentes entre estes trabalhadores.

 Novos tipos de acidentes devem estar surgindo, juntamente com a reestruturação produtiva, que por sua sutileza deixem, inclusive, de ser considerados pela legislação. Se um trabalhador acidentado ou adoecido se mantém em atividade, é de supor que isto o torna mais suscetível, no mínimo, a maior irritabilidade e tensão.

 Isto pode redundar em problemas mais ou menos graves em função do posto de trabalho, níveis de exigência no setor, relação estabelecida com pares, chefia posição da empresa no mercado. Esta possibilidade, no entanto, existe e por sua sutileza exige de profissionais de saúde uma atenção ainda maior quanto ao diagnóstico. Exige também que estes tenham condições de avaliar amplamente a situação. 

 Vemos que os acidentes e doenças do trabalho exigem investimentos na qualificação dos profissionais que atuam na saúde ocupacional, da implementação de pesquisa, da mobilização dos poderes executivo, legislativo e judiciário relacionados à saúde do trabalhador, permanentemente, leve em consideração o que vem ocorrendo, não cabendo negligência ou omissões quando o que se encontra em jogo são a saúde e a vida de milhares de trabalhadores, tanto como o bem-estar de suas famílias.

Neste enfoque, vemos que existe a necessidade de profissionais que atuem efetivamente na promoção à saúde do trabalhador é visível, uma vez que as taxas de acidentes e doenças do trabalho são significativas. A participação destes profissionais nas diversas áreas de atividade laboral é essencial, mas ainda mínima.

Ao vermos o Quadro I verificamos inclusive que os próprios profissionais da área da saúde não possuem, na Rede de Saúde do Município do Rio de Janeiro, quantitativo adequado de enfermeiros do trabalho, conotando o a sua necessidade e principalmente que as políticas públicas direcionadas aos trabalhadores sejam implantadas e fiscalizadas.

Objetivo

Objetivo Geral

O Projeto Pedagógico do Curso de Especialização em Enfermagem articulado com a política governamental, e entendendo por saúde do trabalhador o conjunto de atividades que se destinam, por intermédio de ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção, à proteção, à recuperação e à reabilitação da saúde dos trabalhadores que se submetem aos riscos e agravos advindos das condições do trabalho, tem como objetivo geral:

A formação de enfermeiros do trabalho capazes de identificar as necessidades do trabalhador e atendê-lo nos campos da segurança, higiene, melhoria das condições laborais, conectado com as políticas públicas específicas desta área, atuando de forma inovadora e dinâmica, como educador, promotor e executor de ações que aprimorem a qualidade de vida deste indivíduo e coletividade utilizando os princípios da biossegurança, preservando e promovendo também à própria saúde.

Objetivo Específico

  •  Promover a formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, tornando-se o enfermeiro qualificado para o exercício da Enfermagem do Trabalho, com base no rigor científico e intelectual e pautado em princípios éticos;
  • Capacitar para atuação, com senso de responsabilidade social e compromisso com a cidadania, como promotor da saúde integral do trabalhador e coletividade;
  • Habilitar para realizações das atribuições técnicas: consulta de enfermagem, diagnostico das necessidades do trabalhador, implantação da sistematização da assistência de enfermagem;
  • Habilitar para realizações das atribuições administrativas: planejando, organização, execução, supervisão das atividades de enfermagem, empregando processo de rotina e/ou específicos; 
  • Emitir pareceres na área, organização de registros, arquivos, documentações, controle do estoque de materiais, medicações e insumos; visita aos locais de trabalho participando da identificação das necessidades no campo de segurança, higiene e melhoria do trabalho de acordo o setor;
  • Habilitar para realizações das atribuições de educação em serviço: orientação continuada e atualizada sobre os procedimentos executados pela equipe de enfermagem do trabalho através de treinamentos, desenvolver palestras e outros eventos sobre a saúde e riscos ocupacionais, de acordo realidade do local de trabalho, promover treinamento, capacitação com membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, manter-se atualizado em relação às tendências e inovações tecnológicas, científicas de sua área de atuação e das necessidades do setor/departamento.
  • Capacitar para participar de grupos de trabalho, como elemento pró ativo em busca de soluções que aprimorem as condições de saúde do trabalhador;
  •  Habilitar para estudar as causas de absenteísmo, das doenças profissionais e lesões traumáticas, coletando os dados estatísticos de morbidade e mortalidade de trabalhadores, investigando possíveis relações com as atividades funcionais;
  • Prover conhecimentos que se materializam em competências e habilidades calcadas na dimensão transcultural do cuidar; efetuando observações nos locais de trabalho e discutindo-as em equipe os problemas/situações de saúde-doença mais prevalente.

Disciplinas

  • Enfermagem do Trabalho
  • Bioestatística
  • Legislação em Saúde do Trabalhador
  • Administração em Enfermagem
  • Saneamento Ambiental
  • Sociologia do Trabalho
  • Atenção à Saúde do Trabalhador
  • Ergonomia, Saúde e Segurança no Trabalho
  • Doenças Ocupacionais
  • Pronto Atendimento
  • Metodologia da Pesquisa Científica

Público Alvo

Portadores de diplomas de graduação em Enfermagem.

Informações do curso

Pré-requisitos:

Formação superior completa, com colação de grau realizada, em cursos Tecnólogos, Bacharelados e Licenciaturas.


Matrícula:

1 - Efetue o pagamento da matrícula UNEF (Pagamento por boleto, em até 2 (dois) dias úteis o boleto constará disponível para impressão no portal do candidato)

2 - Acesse o Portal do Candidato neste link: https://www.posunef.com.br/portal-do-candidato 

(Login: E-mail da Inscrição e Senha: Clique em Primeiro Acesso para cadastrar sua senha (acompanhe sua caixa de e-mail / entrada e SPAM/ )

3 - Faça o UPLOAD dos documentos abaixo para fins de matrícula: 

Documentos Necessários: 

  • Diploma da Graduação (frente e verso) *
  • Histórico Escolar  da Graduação (todas as páginas)*
  • RG e CPF  (Não aceita-se CNH) 
  • Certidão de Nascimento ou Casamento
  • Comprovante de residência
  • Comprovante de Pagamento da matrícula


Até o final do curso deverá providenciar o envio da documentação digitalizada, de todos os documentos, na pendência de um dos documentos acima enviar o Termo de Compromisso

 É obrigatório que o candidato tenha concluído a Graduação (colado grau)

Na ausência do diploma e/ou Histórico, apresentar Declaração de Conclusão e Termo de Compromisso.  
Em caso de entrega da Declaração ou Certidão de conclusão de curso, é 
obrigatório citar que houve conclusão da Graduação e a data para colação grau. Permanece obrigatório o envio do diploma e histórico da graduação  até o final do curso.


Central de Atendimento:

Tel: (75) 3199-9930 I  Whatsapp:(75) 99930-8633 I  E-mail: falecom@posunef.com.br


O reembolso só será feito para cancelamento solicitado dentro de 7 dias após o pagamento da matrícula ou, caso não haja formação de turma. Saiba Mais: Política de Reembolso